Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog Vencer a Doença de Crohn

Blog que acompanha a evolução da (minha) doença de Crohn, e que aborda temas/assuntos relativos à doença.

Blog Vencer a Doença de Crohn

Blog que acompanha a evolução da (minha) doença de Crohn, e que aborda temas/assuntos relativos à doença.

Publicidade

15
Nov17

Parti um dedo do pé

Raio X dedo do pé partido

 

Aviso à navegação: Este post não vai ser sobre a sobre a doença de Crohn e é longo, mas prometo que vai ter piada - pelo menos para todas as pessoas além de mim! .

 

Às vezes parece que o mundo nos caí em cima e tudo o que podia correr mal corre pessimamente. Infelizmente nas últimas semanas fui confrontado com um desses períodos , entre os vários azares que tive achei que era interessante contar esta história 

 

Como o título indica, parti o dedo do pé. Da. Forma. Mais. Estúpida. Possível. 

 

 

Acordei para o que parecia ser mais um dia como os outros. Não liguei a luz porque não queria incomodar a Maria, levantei-me o mais silenciosamente que foi possível, agarrei na roupa que tinha deixado de parte no dia anterior e pé ante pé dirigi-me para a porta, no final do corredor estava prestes a agarrar o puxador da porta quando.... DOORRR . Tive um daqueles momentos:

 

 

 

Foi uma dor bastante forte, mas não foi a pior dor que já tive na vida. Já tive dores de barriga bem piores, não sei até que ponto tive sorte em ter partido apenas um osso pequeno, partir ossos maiores deve ser mais doloroso. A dor era parecida com a dor que se sente quando se bate com o pé num sítio duro com bastante força, com exceção que em vez de a dor começar a reduzir passados uns minutos, esta ficou num nível elevado durante 1h - 1h30.

 

Mas já me estou a adiantar!

 

Voltando atrás, saí do quarto a coxear e fui para a casa de banho, sentei-me na sanita e olhei para o pé.......... 

Tinha o dedo mindinho ligeiramente virado para fora . Foi nessa altura que pensei que tinha partido o dedo. Percebi que estava impossibilitado de conduzir, o pé doía bastante quando o pousava normalmente, a única alternativa era chamar um táxi ou "pedir boleia" à Maria. Como ela estava a dormir decidi despachar-me porque podia ter de ir para o hospital a qualquer momento quando ela acordasse.

 

Tomei banho com imensa dificuldade, volta e meia pousava o pé e via estrelas. Saí do banho, vesti-me e vim para a sala, sentei-me no sofá com o pé para cima e fui à Internet pesquisar sobre dedos partidos. Diziam para por o pé alto, por gelo - não me atrevi a andar mais com o pé a doer daquela maneira, não quis ir à cozinha - e esperar algumas horas para ver se a dor persistia para se perceber se o dedo se tinha mesmo partido. Ao mesmo tempo também fui ver as notícias - e qual é o meu espanto - noticiavam que era dia de greve dos médicos com a adesão a rondar os ~75% na zona sul, se a memória não me falha. Pensei numa das últimas que fui ao hospital e estava lá um senhor, com uma situação que eles consideraram não ser grave, à espera à 6h para ser atendido!!!! E ia eu para lá num dia de greve com um dedo ligeiramente torto??? Nunca mais saía de lá...

 

Decidi esperar que a Maria se levantasse, confesso que não tive coragem de a acordar com algo que na verdade podia não ser nada, e de qualquer forma qual era a solução? Passar um dia inteiro num hospital a apanhar infeções hospitalares?  

 

Quando ela acordou já não sentia dores quando tinha o pé imobilizado, quando o pousava a conversa era outra, mas a dor era muito menor do que a que tinha sentido inicialmente. Falei-lhe da greve e ela arranjou uma forma de me desenrascar, fui fazer o RX com uma máquina para animais . Pelo caminho ia a pensar no que era melhor: não ter o dedo partido e fazer figura de "mariquinhas" ou ter mesmo o pé partido e depois ter o problema de, bom..., ter o dedo partido.

O resultado do RX é visível na imagem que está lá em cima, não havia dúvida nenhuma que o dedo estava partido. O diagnóstico do meu dedo partido foi feito numa clínica veterinária!!!! 

 

Bom, agora que já sabia que tinha o dedo partido tinha que tratar dele, saber os cuidados que tinha de ter etc, e obviamente que um veterinário não era a pessoa indicada para o meu problema! Procurámos um ortopedista num Hospital privado e conseguimos marcar uma consulta por telefone, disseram que a consulta custava €50. Quando chegamos ao Hospital afinal o preço da consulta era €70!  Falámos com a senhora da receção que chamou uma enfermeira e ela disse que nestes casos a única coisa que se faz é "atar" o dedo partido a um dedo do lado que não esteja partido. Fiquei a pensar um pouco e não fazia sentido estar a pagar €70 para um médico me dizer que tinha o dedo partido (que eu já sabia) e para uma enfermeira me fazer um curativo... Ia ser o curativo mais caro da minha vida . Então vim-me embora e a "enfermeira namorada" é que prendeu os dois dedos um ao outro.

 

Marcámos uma consulta para o médico de família para daí a dois dias. O médico confirmou o que já sabíamos, tinha o dedo partido. O curativo estava bem feito, e também tinha feito bem em evitar esforços, por o pé para cima etc. Só falhei em não ter posto o gelo, mas como também quase não tive hematoma, não deve ter feito muita diferença. Esta semana vou fazer um RX ao pé - num sítio para pessoas  - para confirmar se está a cicatrizar bem, e também vou fazer análises ao sangue. Já estou a conseguir andar como deve ser, apoio o pé quase na sua totalidade, estou bastante confiante na recuperação. 

 

E pronto, é esta a minha história do pé partido, espero que tenham gostado .

 

6 comentários

Comentar post