Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog Vencer a Doença de Crohn

Blog que acompanha a evolução da (minha) doença de Crohn, e que aborda temas/assuntos relativos à doença.

Blog Vencer a Doença de Crohn

Blog que acompanha a evolução da (minha) doença de Crohn, e que aborda temas/assuntos relativos à doença.

03
Out12

HC: Priscila Rodrigues

Nome:
Priscila Rodrigues
 
Idade actual:
29
 
Em que idade é que apareceu a doença de Crohn (DC)?
22 anos.
 
Como é que a doença se manifestou no início, tem familiares com DC?
Após a minha gestação, ninguém na família possui esta doença.
 
Depois de lhe terem explicado que a doença era crónica, qual foi a sua reacção?
Chorar muito e não querer aceitar.
 
Quais as restrições que a doença causa à sua vida?
Restrições alimentares
 
Que alterações teve no peso?
Perdi 23 quilos.
 
A alimentação tem influência no agravamento da doença? Se sim que conselhos pode dar.
Sim, muito, principalmente carne vermelha, molhos, tomates, leites e derivados do leite.
 
Com que frequência tem as crises e quanto tempo duram? Há forma de prever uma crise?
Hoje tenho crises com cerca de 5 meses mais ou menos, para prevenir, tenho que cuidar ao máximo da alimentação.
 
Que medicação é que já teve de tomar? Que efeitos secundários tiveram esses medicamentos (se tiveram), no seu corpo? Actualmente, ainda precisa de controlar a doença com alguma medicação?
Tomei sulfazalazina, mezalazina, e hoje tomo azatioprina, reacções apenas náuseas e muita dor no corpo.
 
Surgiram outros problemas de saúde relacionados com a DC?
Até o presente momento não.
 
Já foi sujeito a alguma intervenção cirúrgica devido à DC? Se sim, que intervenção foi essa e durante quanto tempo esteve bem, depois teve de continuar a tomar medicação?
Sim, 3 vezes, por causar fístulas, fissuras e abcessos anais e perianais.
 
Há quem defenda que existe uma relação entre o estado psicológico do doente e a própria doença. Concorda? Até que ponto tem impacto na sua vida?
Sim, concordo plenamente, todas as vezes que fico nervosa ou ansiosa, fico muito mal, se fico tranquila, me sinto muito bem.
 
E a família e os amigos, apoiaram-no? Considera esse apoio fundamental?
Todos me apoiaram, foram meu braço direito, o apoio familiar é fundamental.
 
 
Sentiu algum preconceito das pessoas relativamente à doença?
Sim, muitas pessoas, sem saber sobre a mesma, nos julgam.
 
Se tem que viajar como faz?
Hoje vou numa boa, sem grandes problemas, mais já tive épocas de sair e cada horinha procurar banheiro.
 
Por fim, que mensagem deixaria a todos aqueles que têm DC e que, ora por inexperiência a lidar com a doença, ora por falta de força, vacilam?
Força, Fé e coragem é o que precisamos para enfrentar esta doença, temos que seguir a risca as prescrições médicas e quanto mais tranquilos ficarmos, menos ela se manifesta, seguindo desta forma, levaremos uma vida muito próxima da normalidade.Abraços.

 

Voltar a Histórias de Crohn